Sindsaúde RN | Trabalhadores (as) da saúde municipal aprovam calendário de luta

Sindsaúde RN | Trabalhadores (as) da saúde municipal aprovam calendário de luta

  • Facebook
  • Twitter

Diante dos novos ataques da gestão Álvaro Dias (PSDB) aos serviços de saúde e trabalhadores(as) do município de Natal, em Assembleia Unificada, a categoria votou o seguinte calendário de luta: atividades na UPA Potengi (30/11), Leide Morais: (05/12) e Paralisação 24h de Advertência (07/12). Além disso, uma movimentação será organizada no dia da votação da LOA na Câmara dos Vereadores, assim que for divulgada a data da votação. Mais detalhes serão divulgados em breve. 

A ocasião foi de iniciativa da direção do Sindsaúde/RN, em conjunto com o Sindern, Soern, Sinfarn e Sinsenat. A assessoria jurídica do Sindsaúde/RN também estava presente para sanar dúvidas e, lor motivos de adoecimento, os representantes do Soern e Sinfarn não puderam compor à mesa. A pauta da Assembleia contemplava a situação das unidades de saúde de Natal, o fechamentos de vários serviços de Saúde, como pediatria da UPA Pajuçara e Hospital Municipal. Além disso foi discutido:

Mesa greve: sendo um dos motivos para a suspensão da greve da categoria, a mesa de negociação não vem cumprindo seu papel. Adiada por três vezes, sendo o último aditamento dia 10 de novembro, as pautas não avançaram e a gestão de Álvaro Dias (PSDB) e a Secretaria Municipal de Saúde não demonstram vontade política de atender as reivindicações da pauta da categoria.

Insalubridade, mudanças de nível e quinquênio: esses três pontos seriam discutidos justamente nas reuniões que foram desmarcadas pela gestão. Sabemos que a maioria dos trabalhadores (as) da saúde de Natal não recebe recebe insalubridade, já os quinquênios não são pagos automaticamente há anos e os servidores (as) precisam judicializar. 

Piso da Enfermagem: o informe jurídico do Sindsaúde/RN explicou que a PEC 27/2022 que vai tramitar na comissão especial entre os dias 6,7 e 8 de Dezembro, representa um cenário otimista para categoria. Se votada e aprovada, a PEC encaminha-se para o Senado Federal e, se aprovada, garante o piso em 2023. Álvaro Dias (PSDB), porém, não demonstra nenhum interesse em implantar o piso, sendo necessário, portanto, uma forte luta política para pressioná-lo. 

Vamos à luta! É hora de bater de frente com Álvaro Dias.

Publicação original

Em Assembleia, trabalhadores (as) da saúde municipal aprovam calendário de luta

 

Rua Boa Vista, 76 – 11° andar CEP: 01014-000 - Centro - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3107-7984 - secretaria@cspconlutas.org.br
© CSP-Conlutas - Todos os direitos Reservados.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Flickr
  • WhatsApp