Bolsonaristas tentam isentar governo Bolsonaro por situação calamitosa de Yanomami

Bolsonaristas tentam isentar governo Bolsonaro por situação calamitosa de Yanomami

  • Facebook
  • Twitter

Mensagens que correm nos grupos sociais afirmam até que esse grupo de povos indígenas vivem na Venezuela  

Grupos bolsonaristas se negam aos fatos, mesmo com as imagens assoladoras da tragédia humanitária que se instalou nos territórios Yanomami, em Roraima. Não bastou o ex-presidente Jair Bolsonaro classificar a crise como “farsa da esquerda", seus seguidores divulgam explicações estapafúrdias para a situação calamitosa pela qual passam nossos povos originários em Roraima.   

De acordo com coluna de Bela Megale em O Globo, chats no WhatsApp, Telegram e Signal apelaram para narrativas delirantes na tentativa de explicar a crise sanitária e isentar Bolsonaro de qualquer responsabilidade sobre a crise sanitária que se abateu na região.

Primeiro alardearam que os indígenas mortos ou desnutridos estariam em territórios venezuelano, o que é mentira.

Depois foram todos os tipos de questionamentos e afirmações mentirosas em midias sociais.

“Não é possível que isso tudo ocorreu só nesses quatro anos”, consta em um dos comentários.

“Por que estão mostrando esse negócio dos ianomâmis agora? O que estão tentando esconder? O que fizeram com o Serere?”, questionou uma bolsonarista sobre o cacique e pastor José Acacio Serere Xavante preso em dezembro por determinação do STF (Supremo Tribunal Federal) por participação em atos golpistas.

Também acusam o atual governo de fazer sensacionalismo com situação da Amazônia para angariar doações para o que chamam de “máfia das ONGs” que dizem se proliferar na Amazônia.

Já a ex-ministra Damares Alves Mulher, Família e Direitos Humanos, se manifestou pelas mídias sociais. “Acompanhei com dor e a tristeza as imagens que estão sendo divulgadas sobre os Yanomami. Minha luta pelos direitos e pela dignidade dos povos indígenas é o trabalho de uma vida”.

Em sua hipocrisia, ainda afirmou que o governo garantiu a alimentação dos indígenas durante a pandemia com envio de cestas básicas, o que se demonstrou total desconhecimento da realidade que enfrentaram na pandemia. Pesquisas já mostraram o grau de contaminação que sofreram e os ataques promovidos por garimpeiros mesmo na pandemia.     

As declarações acima expressam o desconhecimento e como a ultradireita entende os povos indígenas, que se confirma na declaração de Bolsonaro em outubro de 2022 quando já estava em campanha eleitoral: "Eles cozinham o índio, é a cultura deles". A chacota e o desrespeito de quem enxerga os povos indígenas apenas como um empecilho para a destruição do meio ambiente e florestas da Amazônia.

Rua Boa Vista, 76 – 11° andar CEP: 01014-000 - Centro - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3107-7984 - secretaria@cspconlutas.org.br
© CSP-Conlutas - Todos os direitos Reservados.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Flickr
  • WhatsApp