Vai ter posse! Chegou a Hora da Mudança para os/as metalúrgicos/as do Sul Fluminense!

Vai ter posse! Chegou a Hora da Mudança para os/as metalúrgicos/as do Sul Fluminense!

Atnágoras Lopes

  • Facebook
  • Twitter

As vitórias obtidas pela nossa Chapa 2 - A hora da Mudança e Pela Comissão de Trabalhadores da CSN-UPV nos Tribunais do Estado do Rio de Janeiro e o desfecho da audiência no TST, em Brasília, são muito importantes e demarcam um momento histórico.  

É sempre bom ressaltarmos que esses resultados guardam força, alimento e energia. Primeiro, no legado de William, Walmir, Barroso e os milhares de operários e operárias que, na Greve da CSN de 1988, enfrentaram a invasão do Exército Brasileiro.

Eles pagaram no front com repressão e morte e, mesmo assim, arrancaram direitos que persistiam até pouco tempo atrás, como o turno de 6h, e marcaram um dos principais feitos da luta te classes em nosso país. 

Um segundo impulsionador para os avanços em favor dos trabalhadores e trabalhadoras nos tribunais mora também na ação operária persistente e especializada, com o metalúrgico e ex-funcionário da CSN, hoje, advogado operário Dr. Tarcísio que, desde 2014, fortalece a organização da Oposição Metalúrgica do Sul Fluminense.

 Sua ação jurídica impôs muitas derrotas contra as fraudes, manobras e desmandos da direção derrotada do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense. Tarcísio realizou tais conquistas em conjunto com a disposição e coragem de Edimar Miguel, nosso Presidente eleito, que com apoio de vários ativistas, incluindo militantes de nossa Central, por anos passou a arregimentar um seleto grupo de trabalhadores e trabalhadoras na conformação da diretoria eleita, antes Chapa 2 - A Hora da Mudança. 

Registre-se que no interior da Usina Presidente Vargas reina uma verdadeira ditadura contra o direito à liberdade de organização dos trabalhadores e trabalhadoras, o que obrigou a que grande parte desse trabalho tivesse de ser operada clandestinamente.

Um terceiro elemento mexeu de maneira positiva as movimentações nas esferas jurídico-trabalhistas. Ocorrida a partir de abril desse ano, a explosão e a luta de milhares trabalhadores e trabalhadoras, que não suportando mais o nível de superexploração, de perda de direitos, baixos salários, o ambiente extremamente opressor no interior da usina e a traição permanente e explícita da ex-direção do Sindicato, foram à luta e fizeram história novamente. 

Por meses, a direção do movimento coube a Comissão de Base, que no processo dessa luta se filiou a nossa Central. Eles protagonizaram, juntamente com a Oposição Metalúrgica do Sul-Fluminense, do "Pátio da Som" à Praça Juarez Antunes, passando por protestos na porta do sindicato, um dos principais levantes operários do país.

Também unificaram a luta de Volta Redonda com os trabalhadores e trabalhadoras da CSN de Congonhas (MG). Reunindo-se com a Chapa 2, brindaram de "Luta o Chão da Fábrica", de tantos anos de enfrentamento contra as traições de uma direção sindical pelega.

É chegada 'A Hora da Mudança' aos Metalúrgicos e Metalúrgicas de Volta Redonda e vale traçar esse nosso presente e futuro em honras, também a Juarez Antunes, D. Waldir e a Diocese de Barra do Piraí e Volta Redonda, bem como ao papel cumprido pela comissão eleitoral,  o MPT, aos novos advogados e advogadas que se somaram ao Dr. Tarcísio nessa nova fase de conquistas e, por fim, à juízas e juízes, Ministros e Ministras que, ancorados na força dos trabalhadores e trabalhadoras do Sul Fluminense puderam, com suas convicções, fazer valer a Justiça e garantir a reintegração dos membros da Comissão e a posse da nova Diretoria do Sindicato. 

Agradeço, por fim, o empenho do ativismo da CTB que juntamente com nossa Central, a CSP-CONLUTAS, teve a capacidade de se unir, estar do lado certo, apoiar e vencer essa etapa que é o início de uma nova faze. 

É hora de trabalhar pela reorganização do Sindicato e, através da luta, devolvê-lo às mãos da categoria.  Tal reconstrução demandará a mobilização coletiva com a união dos lutadores e lutadoras em diversas cidades e bases de nosso sindicato. 

Que prevaleça a Independência de Classe, a mobilização e a democracia operária, afinal: "O peão voltou"!

São Paulo, 5 de dezembro de 2022

Atnágoras Lopes -  É integrante da Secretaria Execuctiva Nacional da CSP-Conlutas

Rua Boa Vista, 76 – 11° andar CEP: 01014-000 - Centro - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3107-7984 - secretaria@cspconlutas.org.br
© CSP-Conlutas - Todos os direitos Reservados.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Flickr
  • WhatsApp