Basta de barbárie! Tortura e morte causada por PRF causa protestos em SE

Basta de barbárie! Tortura e morte causada por PRF causa protestos em SE

  • Facebook
  • Twitter

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda pelas mãos de policiais rodoviários federais, provocando protestos na rodovia BR-101 na altura de Umbaúba (SE), município a cerca de 100 km da capital Aracaju. Moradores e representantes de movimentos sociais colocaram fogo em pneus, paralisaram a rodovia até o meio da tarde de quarta-feira (25) para manifestar o repúdio à truculenta ação policial.

O homem, que estava numa moto, foi imobilizado por policiais rodoviários e colocado dentro do porta-malas de uma viatura, onde inalou fumaça de bomba de gás lacrimogêneo. Antes, foi jogado no chão, amarrado e sofreu diversos chutes. A ação foi feita pelos policiais em frente à várias testemunhas. Vídeos da ação bárbara se espalharam pelas redes sociais.

O sobrinho que viu a cena, denunciou: “Eles jogaram um tipo de gás dentro da mala, foram para delegacia, mas meu tio estava desacordado. Diante disso, os policiais levaram ele para o hospital, mas já era tarde”.

 

 

De acordo com informações do portal G1, o laudo do IML (Instituto Médico Legal) de Sergipe foi confirmado pela Secretaria de Segurança Pública e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) informou que havia sido aberto um procedimento disciplinar para examinar a conduta dos policiais. A Polícia Federal investigará o caso.

A família informou que Genivaldo sofria de esquizofrenia e há 20 anos tomava remédios controlados, por isso pode ter se descontrolado diante da situação.

A PF alegou que a vítima teria resistido à abordagem, como se o motivo justificasse a bárbara tortura e o crime.

Após liberação do corpo ao final da noite, o velório ocorreu na casa da mãe da vítima, em Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy.

"Dois dias dia antes, uma operação policial matou 22 pessoas na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, zona norte do Rio; hoje temos essa execução de uma pessoa com esquizodrenia. Isso só confirma que as armas da polícia e do Estado estão apontadas pra nós, negros e negras e o povo pobre. É urgente fazer justiça, são verdadeiras execuções a luz do dia", cobra indignado o integrante da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas Júlio Condaque, do Quilombo Raça e Classe.   

 

 

Rua Boa Vista, 76 – 11° andar CEP: 01014-000 - Centro - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3107-7984 - secretaria@cspconlutas.org.br
© CSP-Conlutas - Todos os direitos Reservados.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Flickr
  • WhatsApp