banner topo banner topo
Contra despejos na pandemia, sem-teto voltam às ruas para protestar nesta terça-feira (21)

Contra despejos na pandemia, sem-teto voltam às ruas para protestar nesta terça-feira (21)

  • Facebook
  • Twitter

Em todo o país, os movimentos por moradia vão botar o bloco na rua, nesta terça-feira (21), com um objetivo claro: conseguir a prorrogação da ADPF 828, a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que impede despejos durante a pandemia de covid-19. 

Em vigor desde 2021, a medida perderá a validade no dia 30 de junho. Com isso, segundo as estimativas da Campanha Despejo Zero, que organiza a mobilização, mais de meio milhão de pessoas poderão perder suas casas do dia para a noite. 

Para evitar esse cenário de catástrofe, atos irão ocorrer em diferentes capitais. A ideia é chamar a atenção da população para o drama vivido pelas famílias e cobrar do poder público medidas que evitem as remoções. 

Novos dados

A Campanha Nacional Despejo Zero lançou novos dados sobre a situação. O novo levantamento compila dados de março de 2020 a maio de 2022. Ao todo, já são mais de 142 mil famílias que vivem sob ameaça de remoção. 97,3 mil crianças e 95 mil idosos estão em perigo.

Mesmo com a ADPF em vigor, os governos seguiram despejando famílias ao longo da crise sanitária. Quase 21 mil idosos já foram retirados de suas casas. O número de crianças removidas também é alarmante e chega a 21.492. 

Os dois grupos representam cerca de 33% das pessoas que já sofreram com o despejo ou estão ameaçados. Essa situação é especialmente preocupante nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco. Até agora, já foram desabrigadas 45,1 mil famílias paulistas, 29,2 mil famílias fluminenses e 19,2 famílias pernambucanas.

Prorroga STF!

A situação poderia ser ainda pior sem as iniciativas que estão em curso para evitar despejos. A maior parte delas tem como base a ADPF 828 concedida pelo Ministro do STF Luis Roberto Barroso.

Segundo o novo estudo da campanha, mais de 24 mil famílias em 120 ocupações  foram protegidas dos despejos graças a luta dos movimentos e a incidência política da Despejo Zero na manutenção da liminar.

Ato em São Paulo!
Um dos principais atos ocorrerá em São Paulo. A concentração para a marcha será em frente ao Parque Trianon Masp, na Avenida Paulista, a partir das 13h. Movimentos de todo o estado estão convocados para a caminhada que irá até o Tribunal de Justiça do Estado na praça da Sé.

A principal exigência ao judiciário é a suspensão dos despejos. Além disso, os manifestantes demandam o assento do Condepe (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana) no Gaorp (Grupo de Apoio às Ordens Judiciais de Reintegração de Posse). 

O plano é criar o espaço para se apresentem as ocupações que estão em situação de emergência e que, por isso, necessitam da mediação do Gaorp para encontrar alternativas às remoções. 

“O Judiciário de São Paulo não pode colocar uma venda nos olhos diante de tão grave situação. O Presidente do Tribunal precisa ouvir as entidades e atender nossas reivindicações. Nenhuma Família Sem Casa, Nenhuma Mulher Sem Teto! Despejo Zero!”, afirma a campanha em nota.

Luta Popular em ação

Além do ato na terça, o movimento Luta Popular, filiado a CSP-Conlutas programou uma agenda de manifestações durante os próximos dias. Confira na arte abaixo:

Rua Boa Vista, 76 – 11° andar CEP: 01014-000 - Centro - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3107-7984 - secretaria@cspconlutas.org.br
© CSP-Conlutas - Todos os direitos Reservados.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Flickr
  • WhatsApp