ICOG divulga chamado de 1º de Maio em defesa dos direitos, da saúde, do meio ambiente e contra as guerras

ICOG divulga chamado de 1º de Maio em defesa dos direitos, da saúde, do meio ambiente e contra as guerras

  • Facebook
  • Twitter

O Grupo da Coordenação Internacional dos Trabalhadores do Setor Automotivo, o ICOG, divulgou o manifesto do 1º de Maio, Dia Internacional de Luta dos Trabalhadores.

O protesto dos efeitos da crise agravada pela pandemia é ainda uma das bandeiras levantadas no chamado para o dia de luta, mais de dois anos depois do início do alastramento da covid-19 pelo mundo.

No documento, a organização destaca o escandaloso caso de demissões de ativistas sindicais durante a pandemia, expondo como exemplo o caso de 20 militantes da Volkswagen na África do Sul. Eles sofreram estes ataques por se mobilizarem por medidas de segurança de proteção contra a covid-19 nos ambientes de trabalho.

Além dos efeitos da pandemia, o rastro desse período de crise sanitária empobreceu ainda mais o povo, e instabilidades políticas violentam ainda mais a classe trabalhadora.

Pandemia e destruição do meio ambiente

Além das lutas encampadas em defesa de direitos trabalhistas e condições seguras de trabalho, o último ano apresentou agravantes à classe trabalhadora, colocando a necessidade de travar mobilizações internacionalistas contra os mais variados ataques e condições de risco.

A pandemia colocou em pauta a urgência de proteger o meio ambiente que sofre, a partir do capitalismo, as mudanças do clima e deterioração. Das experiências vividas nesses dois anos, nenhuma ação foi aplicada de maneira a frear a destruição dos recursos naturais. Pelo contrário, Bolsonaro tem expulsado povos indígenas de seus territórios sagrados e ancestrais a fim de explorar ainda mais as matérias-primas existentes nestes terrenos.

Empobrecimento e guerras

A situação de miséria, por exemplo, revelou sua relação direta com a instabilidade política de diversos países. No manifesto, a entidade aponta que a população mundial sofre com a inflação nas alturas e a desvalorização dos salários. Além disso, agora com a invasão russa na Ucrânia, faltam peças no setor automotivo, chips semicondutores e matérias primas, reflexo do que ocorre neste momento de tensão entre o Kremlin e o governo ucraniano.

Por tornar o futuro incerto para a classe trabalhadora tanto na Ucrânia quanto na Rússia, o ICOG ressaltou a declaração conjunta de trabalhadores da Ford na Espanha, França, Alemanha e Venezuela, contra as agressões russas na Ucrânia.

“A nossa solidariedade pertence ao povo da Ucrânia e da Rússia, bem como a todos os ativistas pela paz em todo o mundo, que estão em campanha, por vezes face a uma dura repressão, contra esta guerra desumana e destruidora na Ucrânia”.

 

Confira abaixo o manifesto completo:

TRABALHADORES DO MUNDO, UNI-VOS. CONTRA AS GUERRAS IMPERIALISTAS! PELA PAZ, POR EMPREGOS, AUMENTO SALARIAL, EM DEFESA DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE!

Apelo do Grupo de Coordenação Internacional para 28 de Abril e 1 de Maio de 2022: 5 de Abril de 2022: Caros colegas, apelamos a todos os trabalhadores da indústria automobilística, suas famílias e camaradas de luta: À luta neste 1º de Maio, o Dia Internacional da Luta da Classe Trabalhadora! Manifestemo-nos este ano em todos os países com massivos protestos e greves, condenando ainda e resolutamente as guerras imperialistas e trabalhando ativamente em prol da paz mundial.

 

Sabemos que em todas as guerras anteriores travadas pelos imperialistas na disputa por recursos e pelo mercado NÃO houve nenhum ganho para a classe trabalhadora. O perigo de uma 3ª guerra mundial é alimentado pelas tensões desde os imperialistas à supremacia tanto da Rússia como dos EUA/UE/NATO.

Declaramos que seguimos nos organizando quebrando fronteiras contra esta guerra. Congratulamo-nos com a declaração conjunta contra a guerra dos sindicalistas na Ford a partir de fábricas em Espanha, França, Alemanha e Venezuela. A nossa solidariedade pertence ao povo da Ucrânia e da Rússia, bem como a todos os ativistas pela paz em todo o mundo que estão em protesto, por vezes face a uma dura repressão, contra esta guerra desumana e destruidora na Ucrânia.

Após os graves efeitos da pandemia de covid-19, com milhões de mortes e a contínua deterioração da saúde de muitas pessoas, o dia 28 de Abril assume uma vez mais um significado crescente no ano de 2022. Neste dia, relembramos os nossos colegas, que morreram no trabalho, e estamos empenhados em melhorar a saúde e segurança no trabalho em todo o mundo. É um escândalo que ativistas sindicais, como por exemplo os 20 delegados sindicais da VW na África do Sul, ainda tenham de lutar contra demissões devido aos protestos por medidas de segurança contra a covid-19. Exigimos a sua reintegração imediata e incondicional de todos eles!

Em nível mundial, estamos sofrendo com uma inflação violenta e a desvalorização de nossos salários. Paralisações nos locais de trabalho devido à pandemia, a escassez de chips semicondutores e de matérias-primas e agora a falta de peças da Ucrânia e da Rússia levaram a uma paralisação na produção de automóveis em muitos locais. Isto está a ser descarregado em nossas costas e sobre nossas famílias. Dezenas de milhares de trabalhadores do setor automotivo na Rússia têm pela frente um futuro incerto devido à retirada das empresas internacionais de automóveis do país.

A guerra na Ucrânia, em relação às esferas de influência, matérias-primas, recursos alimentares internacionais e reservas energéticas, tem sido utilizada diretamente pelo Presidente Bolsonaro no Brasil, por exemplo, para aprofundar a destruição da selva amazónica. Ele segue expulsando os povos indígenas de suas terras ancestrais a fim de explorar as matérias-primas existentes nestes territórios. Como trabalhadores do setor automotivo, defendemos a preservação e proteção do meio ambiente, o transporte sustentável e ecologicamente correto. A atual “transição” para a mobilidade elétrica e digital não deve ser feita às custa dos nossos empregos e salários. Defendemos uma mobilidade do futuro em unidade do homem e da natureza!

A 3ª Conferência Mundial das Mulheres de Base de 3 a 10 de Setembro de 2022 em Tunes, Tunísia, reforçará a solidariedade internacional e o poder do movimento de mulheres militantes. Apelamos ao apoio e à participação.

  • Trabalhadores do mundo uni-vos!
  • Contra a destruição dos empregos e pela semana de 30 horas ou 6 horas por dia com compensação salarial integral – em todo o mundo!
  • Pelo direito à greve sem qualquer restrição!
  • Contra o avanço da direita e do fascismo dos governos!
  • Lutamos por um mundo livre das guerras imperialistas, da fome, da  pobreza e das catástrofes ambientais!
  • Nosso objetivo é um mundo sem exploração e opressão, no qual as pessoas possam viver em paz!
  • Viva a Solidariedade Internacional!

 

Rua Boa Vista, 76 – 11° andar CEP: 01014-000 - Centro - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3107-7984 - secretaria@cspconlutas.org.br
© CSP-Conlutas - Todos os direitos Reservados.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Flickr
  • WhatsApp