​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

Após 7h de vigília da greve, governo apresenta proposta aos servidores da saúde

12/03/2014


O relógio marcava 18h40 quando os representantes do Comando de Greve e da direção do Sindsprev-RJ desceram do oitavo andar do prédio 128 da rua México, núcleo do Ministério da Saúde no Rio (Nerj), na terça-feira (11). Foram recebidos com festa pelos servidores que ali se concentravam desde o final da manhã, quando a passeata de todos os hospitais, que partira da unidade do Inca na Cruz Vermelha, chegou ao local.

 

Após quase sete horas de negociação – com um intervalo no meio da tarde – a comissão trazia nas mãos a proposta de acordo do ministério para os grevistas. O documento está assinado pelos representantes do governo, do Inca inclusive, mas sem a assinatura dos servidores, já que a proposta será levada à assembleia – remarcada para acontecer nesta quarta-feira (12), às 14 horas (ver a reprodução do documento ao final deste texto, no qual os dirigentes do sindicato assinalam apenas que o receberam).

 

De lá, dezenas de trabalhadores que ali resistiram por mais de sete horas saíram em passeata, rumo à sede do Sindsprev-RJ, cantando palavras de ordem – “Saúde, na rua, Dilma, a culpa é sua”, dentre outras. Demonstrando uma energia surpreendente, seguiram na contramão pela pequena rua Heitor Melo, dobraram, também na contramão, na av. Rio Branco, pegaram o Passeio e, cerca de vinte minutos depois, chegavam ao sindicato, na rua Joaquim Silva, na Lapa.

 

Durante todo o trajeto, foram acompanhados por cerca de 50 policiais militares, equipados com a nova armadura utilizada pela PM, estilo ‘Robocop’, que seguiram também numa espécie de passeata após os servidores. Não houve explicação por parte do governo sobre os motivos de tal aparato repressivo. O trajeto foi percorrido sem incidentes.

 

Por volta das 19h45, chegava ao fim mais uma longa jornada. Reunidos na sede do Sindsprev, os servidores ouviram o teor e receberam cópias da proposta de acordo – que teve alguns novos pontos festejados. Deixaram a sede do sindicato cansados, mas de cabeça erguida e sabendo que uma nova jornada de atividades da greve começa nesta quarta-feira (28), 38º dia de paralisação, que terá assembleia geral, às 14 horas, no auditório do sindicato, para avaliar a proposta do governo e decidir sobre os rumos do movimento.


(veja, após a foto, cópia da proposta apresentada pelo governo)


 Servidores durante a vigília; abaixo, cópia da proposta de acordo
 foto: Fernando França
Proposta de acordo apresentada pelo governo

 
 


Foto: Mayara Alves
Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho