​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

Trabalhadores da construção civil de Fortaleza fazem assembleia nesta sexta-feira para definir rumos da greve

18/05/2012


Expectativa é de que os trabalhadores votem em assembleia a continuidade da paralisação por tempo indeterminado

 

Em greve geral desde o dia 8 de maio, os trabalhadores da construção civil de Fortaleza (CE) realizam assembleia na manhã desta sexta-feira, 18, para decidir pela continuidade da paralisação. Eles começam a se concentrar a partir das 9h.

 

Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (Sticcrmf), a expectativa é de que os trabalhadores votem para continuar o movimento.

 

A negociação salarial dos operários já se estende por meses. Inicialmente, eles pediam 17% de reajuste , R$ 80 de cesta básica e plano de saúde. As construtoras ofereciam reajuste de 6,5% e cesta básica de R$ 40. As propostas se aproximaram no decorrer das negociações.

 

Na quinta-feira da semana passada, 10, os valores de reajustes foram reduzidos pelos trabalhadores ao mesmo tempo em que o sindicato que representa as empresas elevou a proposta. Os operários reduziram a proposta de reajuste de 17% para 9,47%. Pediram ainda cesta básica de R$ 50. Os salários da categoria seriam de servente (R$ 640), meio profissional (R$ 725), profissional (R$ 970), mestre de obras (R$ 1.700).

 

O reajuste oferecido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-CE) é de 7,47% para salários acima do piso e os pisos teriam um reajuste médio de 10,5%, além de cesta básica de R$ 46.

 

“É o nosso limite máximo”, destacou. o presidente do Sinduscon-CE, Roberto Sérgio Ferreira. Ele explicou que foi dada uma proposta no Tribunal do Trabalho e que por pouco ela não foi aceita pelo sindicato laboral.

 

O Povo Online