​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​
Solidariedade à Palestina

BDS envia carta à cantora Daniela Mercury para que participe da campanha e não faça show em Israel

18/04/2012


A cantora Daniela Mercury programou um show em Israel.

 

A campanha de Boicote, Desinvestimento e Sanções à Israel (BDS), principal campanha internacional de solidariedade ao povo palestino, fez uma carta pedindo à Daniela Mercury que não realize o show em Israel, a exemplo de vários artistas como Roger Waters do Pink Floyd.

 

Várias entidades sindicais em todo o país estão firmando a carta. Também entidades em Portugal e na Palestina estão firmando a carta.

 

Solicitamos a todas as entidades avaliem a possibilidade de firmar esta carta e informem a CSP-Conlutas o mais rápido possível.

 

Reiteramos a importância de fazer este gesto de solidariedade ao povo palestino.

 

Veja o vídeo da Campanha 

 

 

 

 

Veja a carta abaixo:

 

Abril de 2012

 

Cara Daniela Mercury,

 

Amigos palestinos, admiradores de sua música, nos escreveram assim que souberam que você pretende fazer um show em Israel, em maio próximo.

 

Como parte do chamado feito pela sociedade civil palestina em 2005 para o Boicote, o Desinvestimento e Sanções (BDS), e inspirado pelo boicote cultural ao apartheid na África do Sul, o povo palestino pede a artistas internacionais que se juntem ao movimento BDS cancelando shows e eventos em Israel, que só servem para igualar o ocupante ao ocupado e, portanto, promover a continuação da injustiça.

 

Em outubro de 2010, o sul-africano Desmond Tutu, consagrado com o Prêmio Nobel da Paz por sua luta contra o apartheid, apelou à ópera de seu país cancelar a apresentação agendada em Israel. Um show em território israelense enfraquece a chamada para o BDS até que Israel cumpra os requisitos básicos do direito internacional, pondo fim à ocupação militar, à tomada de terras e à construção de novas colônias nos territórios palestinos. Na mesma linha, respeite os direitos humanos, à autodeterminação do povo palestino e ao retorno a suas terras e propriedades.

 

A participação em um show em Israel não é um ato neutro, desprovido de qualquer mensagem política. Ao participar de um evento em Israel, você estará apoiando a campanha israelense para encobrir violações do direito internacional e projetar uma imagem falsa de normalidade. Qualquer afirmação em contrário que um artista deseje fazer por meio de sua participação nesse evento será ofuscada pelo fato de que está atravessando um piquete internacional, estabelecido pela grande maioria das organizações da sociedade civil na Palestina. Na verdade, uma mensagem de paz justa atingirá muito mais pessoas, incluindo israelenses, se você cancelar a sua participação.

 

Desde a ofensiva de Israel a Gaza em dezembro de 2008 e janeiro de 2009, que deixou 1.400 palestinos mortos e conduziu à elaboração do relatório Goldstone, o qual não deixa dúvidas que Israel cometeu crimes de guerra, muitos artistas internacionais se recusaram a tocar em um país que se coloca acima dos direitos humanos e do direito internacional. Após o ataque de Israel a um navio de ajuda humanitária com destino a Gaza em maio de 2010, o número de artistas cresceu. Elvis Costello, Gil Scott Heron, Carlos Santana, Devendra Banhart e os Pixies são apenas alguns dos que se recusaram a realizar shows em Israel naquele ano. Roger Waters é outro exemplo de pessoa pública que assume posição contrária às violações dos direitos humanos por Israel. No período em que realizou t u rnê no Brasil, entre final de março último e início deste mês, fez declarações à imprensa nesse sentido e em apoio à campanha por BDS.

 

Pedimos-lhe para se juntar à lista crescente de artistas que têm respeitado o pedido de boicote. Como disse o sul-africano Desmond Tutu, “se o apartheid na África do Sul terminou, essa ocupação também terminará, mas a força moral e a pressão internacional terão de ser tão determinadas quanto”. Por justiça, o chamado palestino para o BDS deve alcançar o mundo, incluindo Israel. Ficaremos felizes em discutir isso mais a fundo com você e apoiá-la no quer for necessário. Nós estamos simplesmente pedindo que você cancele seu show em Israel, de modo a não prejudicar o aumento global do movimento por boicotes ao apartheid a que está submetido o povo palestino. Aproveitamos para convidá-la a participar dessa nobre luta por uma causa da humanidade. Com grande respeito,

 

 

Frente em Defesa do Povo Palestino

União Democrática das Entidades Palestinas no Brasil

Comitê Catarinense de Solidariedade ao Povo Palestino

Centro Cultural Árabe-Palestino Brasileiro de Mato Grosso do Sul

Sociedade Árabe-Palestina de Corumbá 

Comitê Árabe-Palestino do Brasil

Sociedade Palestina de Santa Maria
Centro Cultural Árabe-Palestino do Rio Grande do Sul 
Sociedade Palestina de Brasília
Sociedade Palestina de Chuí

Sociedade Islâmica de Foz do Iguaçu

Sociedade Islâmica do Paraguai

Associação Islâmica de São Paulo

Coletivo de Mulheres Ana Montenegro

Movimento Mulheres em Luta

PCB – Partido Comunista Brasileiro

PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

CUT – Central Única dos Trabalhadores

CSP-Conlutas – Central Sindical e Popular-Coordenação Nacional de Lutas

Mopat – Movimento Palestina para Tod@s

Ciranda Internacional da Comunicação Compartilhada

Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos

Grupo M19

Coletivo de Juventude dos Metalúrgicos do ABC

Comitê de Solidariedade à Luta do Povo Palestino do Rio de Janeiro

Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Porto Alegre