​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​
Mobilização

Médicos e farmacêuticos da Grécia realizam greve de 48 horas

02/01/2012


Os médicos e farmacêuticos da Grécia iniciaram hoje uma greve de dois dias em protesto contra medidas que o governo se prepara para tomar e que vão afetar o setor da saúde.

 

A maioria das farmácias do país deverá encerrar até terça-feira. Em causa está a redução das margens das farmácias de 18 por cento para 15 por cento, decidida pelo governo para reforçar os cofres da segurança social.

 

A greve dos médicos deverá afetar todos os hospitais públicos, onde apenas as urgências deverão ser asseguradas.

 

Os médicos protestam pela redução de salários prevista, medida aplicada a todos os funcionários públicos gregos, e pelos cortes na despesa do setor da saúde.

 

Na semana passada, o governo indicou que a despesa no setor da saúde foi de 10,6 mil milhões de euros em 2009 e que, este ano, pretende reduzi-la para sete mil milhões.

 

“Se não o conseguirmos, as reformas terão de ser reduzidas em 12 por cento”, afirmou o ministro do Trabalho, George Koutroumanis.

 

Estas medidas inserem-se no plano de austeridade aprovado pelo governo grego em troca do empréstimo internacional da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.

 

Fonte: sicnoticias