​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

Sobre as denúncias de pedofilia e abuso sexual em Bauru (SP)

03/10/2011


Movimento Mulheres em Luta CSP Conlutas

 

Nos últimos dias, uma notícia tomou repercussão nacional: denúncias de pedofilia e abuso sexual a quatro jovens de Bauru. Na última sexta-feira (30.09), Sandro Fernandes e sua esposa, Fernanda Fernandes, foram presos. O primeiro, acusado de ser o autor dos crimes. A segunda, acusada de conivência e omissão. O caso, que ganhou repercussão na voz dos filhos e parentes, choca a todos.

 

As denúncias foram formalizadas pela filha e pela cunhada, ambas com 18 anos, mas que teriam sofrido abusos entre oito e 16 anos e aos dez anos, respectivamente. No decurso do inquérito, uma sobrinha de 13 anos e o filho de nove anos  também denunciaram terem sido vítimas.  A descrição dos depoimentos, que a partir de sexta (30.09) seguem em segredo de justiça a pedido da defesa, foge a qualquer racionalidade. Conforme divulgado em reportagem do jornal Folha de São Paulo, de quinta-feira (29.09), o filho de nove anos alega que o pai teria “feito xixi branco em seu pé” – isso é só um exemplo.

 

A defesa, sob a responsabilidade do advogado Ricardo Ponzzeto, argumenta que os réus são inocentes, que as provas cabem às vítimas. Defende que os filhos estão fazendo isso contra os pais por motivações financeiras e que a menina de 18 anos conseguiu convencer a todos porque fez teatro em uma excelente escola. Argumento frágil e que menospreza a inteligência dos envolvidos e investigadores, dá a impressão de um artifício para defender o quase indefensável.

 

O processo de investigação está em curso, mas desde já nos solidarizamos às vítimas e ao sofrimento retido por anos, escondido e sufocado em nome da “preservação da família”. Afinal, de que família estamos falando, em que os filhos se tornam posse dos desejos dos pais?  Em que a hipocrisia e a violência contida parecem ser a ordem de funcionamento? A quem serve esse tipo de família?

 

Não serve à nossa classe. A pedofilia é condenável por si só.  Não somente  porque fere as regras de convivência, mas porque é uma relação entre desiguais. Vítimas e acusados não estão no mesmo plano de desenvolvimento e responsabilidade. A crueldade é maior quando ocorre no âmbito doméstico, entre pais e filhos. É o abuso do corpo e da confiança.

 

O grau de degeneração moral que toma conta da nossa sociedade, em que as mulheres são vistas como mercadorias, em que a cada duas horas uma é morta,  vítima de violência,  ou os filhos são vistos como posse dos pais, inclusive, para satisfazer todos os seus desejos, é parte da barbárie capitalista, mas não exclui a responsabilidade individual dos acusados.

 

O histórico de militante de esquerda e advogado de renome em Bauru não pode ser motivo para diminuir ou relativizar as investigações. Defendemos a criminalização e a prisão de Sandro e Fernanda enquanto durar o processo. Esperamos que as investigações sejam levadas até o final. Por se tratar de pessoas públicas e com prestígio, é necessária uma severa e ampla investigação dos fatos. E, comprovadas as denúncias, a punição tem de ser  exemplar.

 

O capitalismo produz resultados perversos na relação entre os seres humanos. A degradação da moral, a perda de referências e a falência da institucionalização da família patriarcal como sinônimo de felicidade são parte desse processo. A hipocrisia da moral burguesa em que “vale tudo” é o sustentáculo de denúncias tão cruéis é parte de uma sociedade que produz indivíduos e atos assustadores.

 

Uma sociedade diferente é necessária. E, na luta pelo socialismo, está colocada a luta contra essas condutas, que nos dividem e oprimem. Não é possível libertar os trabalhadores oprimindo a outros, sejam eles homens, mulheres ou crianças. Repudiamos a pedofilia, o estupro e a violência e defendemos severas punições para tanto. Não vamos esperar o socialismo para combater este tipo de atitude. Mas nossa luta não acaba aí. É preciso uma sociedade socialista, em que o ser humano deixe de ser mercadoria e objeto forçado do desejo de outros.

 

- Pela criminalização da Pedofilia e da violência contra mulheres e crianças!

- Pela investigação e punição de Sandro e Fernanda!

- Pela luta contra a opressão e a moral burguesa, para construir uma sociedade socialista!

 

Movimento Mulheres em Luta